2 de out de 2012

Fogo


O calor era insuportável. Seu rosto se banhava em suor enquanto as chamas aumentavam. Os camponeses a observavam; uns pareciam tristes, mas outros gritavam e jogavam pedras. Ela tinha cuidado dos doentes, das mulheres grávidas, tinha preparado infusões, dado conselhos... Mesmo assim, eles a puseram numa fogueira. As lágrimas em seu rosto se confundiam com o suor. A dor cortante arrancava-lhe gritos horríveis. Sua vida se transformava em cinzas. Já não tinha esperanças quando começou a chover.

Todos na vila a conheciam, era uma espécie de curandeira. Muitos a buscavam quando estavam doentes e ela recebia a todos. Tinha uns quarenta anos e ainda era bela. Quando o conde da região visitou a aldeia, ficou encantado com sua beleza. Ofereceu-lhe um bom dinheiro para que cedesse a seus favores. A senhora, no entanto, recusou-se a fazê-lo e o agrediu quando ele tentou de todos os modos tirar sua roupa. Sentindo-se humilhado, o nobre ordenou que a prendessem.

Como não era cristã, o conde a acusou de ser bruxa e pediu ao padre da vila que a condenasse por bruxaria. O velho sacerdote tinha boas relações com seu senhor, por isso fez o possível para preparar o necessário para a condenação. No entanto, o padre adoeceu uns dias depois e morreu.

Passou-se quase um mês para a Igreja enviar um substituto. O novo sacerdote era muito jovem e tinha ambição de crescer na hierarquia eclesiástica. Assim que chegou à vila, lhe informaram sobre a situação da bruxa. Por isso, analisou as anotações de seu antecessor e seguiu com a execução, pois desejava ficar em bons termos com o conde.

A chuva veio muito tarde. Embora a água tenha apagado o fogo, as queimaduras da mulher já eram muito profundas. Ela tinha sido uma pessoa gentil que tentou ajudar a todos o máximo que pôde, mas nos últimos instantes de vida seu coração se enegreceu. O ódio se apossou dela e ela amaldiçoou toda a aldeia, sobretudo o jovem sacerdote. Finalmente, o fogo de sua vida e a nobreza de sua alma se apagaram.

***

Hoje, o Rascunhos completa(ria?) 7 anos de existência. Por isso, achei interessante compartilhar um texto por aqui. Apesar de carecer um pouco de fidelidade histórica, acho que o conto ficou legal. Espero que gostem. Até logo.

24 de jun de 2012

Notícias sobre o blog

Saudações, leitor(es) do Rascunhos

Como se pode notar, faz bastante tempo que este blog está em coma. Salvo por um ou outro espasmo involuntário, não há sinal de que ele volte à atividade de outrora.

De qualquer modo, o autor do Rascunhos está, com uma frequência razoável, postando em dois outros blogs:

1) O Almanacaria, um projeto em conjunto com alguns comparsas onde falamos sobre cinema, literatura, quadrinhos e adjacências - além de apresentar algumas produções próprias.
                 
2) O No te cuento, um blog de contos próprios em língua espanhola.

Quem se interessar, por favor, visite um dos blogs mencionados. É possível que haja alguma postagem ocasional no Rascunhos de textos que não se encaixem nos perfis dos blogs acima, mas não prometo nada.

Sem mais até o momento, despeço-me.

Até logo.

- Italo

8 de jun de 2012

Amando no treinamento

Recentemente, meu amigo Amando foi aprovado no concurso da Petrobrás e em sua homenagem fiz essa tirinha.