26 de fev de 2006

Orações ao meu amor

Amo-lhe
Mas não a amo
Não posso amá-la
Não diretamente
Apenas nos meus desejos e sonhos
Ela torna-se meu objeto de amor
Amo-lhe indiretamente

Amo-te de todos os modos
Amo-te sem-modos
Amo-te com certeza
Na dúvida, te amo
Amo-te no sim e no não
No bem e no mal
Hoje e amanhã
Aqui e acolá
Talvez, por acaso, quiçá

Meu amor é circunstancial, atemporal, paradoxal

A este amor estou subordinado
Sou passivo deste amar
Apenas um sujeito tratado como objeto
Apenas um agente para apassivar

__________________________________________________

*Fazia "séculos" que não escrevia um poema...
**e "meses" que não escrevia coisa alguma hehehehe

2 de fev de 2006

Física e música

Bziiiiiimmm!

- Diego!
- Oi, dona Ângela, tudo bom?
- Tudo sim. Entra.
- Obrigado.
- Senta aí. Você já almoçou?
- Já sim, obrigado. Marcela tá aí?
- Tá sim. Tá tomando banho ainda.
- Ainda? É... 13h50, eu cheguei um pouco cedo...
- Ela ainda vai demorar, por que você não liga a televisão?

...

Não sou atriz, modelo ou dançarinaaa
[ - eu gosto disso]
Meu buraco é mais em cimaaa
Porque NEM toda feiticeira é corcunda
NEM toda brasileira é bunda
O meu peito não é de silicone
Sou mais macho que muito homem...
Ra ta tá, ara tá...

- Diego, aceita um docinho de goiaba?
- Aaah.. aceito sim, dona Ângela.
- Tome. Marcela tá vindo já.
- Brigado.

(25 minutos depois...)

- Oi.
- Olá.
- Demorei?
- Até que não, só faz meia hora que eu cheguei. Suponho que o ônibus tenha demorado...
- Deixa de ser chato! Pelo menos você tava assistindo televisão...
- Claaro. Não sei como eu ia aguentar se não tivesse visto meu Vídeo Show hoje...
- Afe! Dois minutos de conversa e você já consegue me deixar irritada!
- Você fica tão linda quando tá com raiva...

(A garota virou o rosto)

- ...
- Teu cabelo fica tão massa assim quando tá molhado...
- ...
- Eita! Achei um fiozinho de cabelo branco.
- Aond...?

Enquanto falava, Marcela virou o rosto de volta, apenas para encontrar os lábios de Diego prontos para recebê-la. Smaaaack!

- Trapaceiro!
- Eu me esforço. A propósito, adorei ouvir você cantando.

______________________________________________________

- Essa eu fiz, essa eu fiz, essa era igual à outra... Essa deu errado, mas foi porque eu esqueci de transformar as unidades... Essa eu fiz, essa daqui deu um trabalho danado...
- Nossa! Você já fez muitas questões. Pra quem disse que não tava sabendo de nada...
- É porque esse assunto eu sabia que tinha que estudar! E semana passada no cursinho o professor fez um monte de exercícios sobre isso, aí eu aproveitei o embalo e fui resolver os do livro.
- Eu gosto desse assunto, hidrostática.
- Nam! Pra mim toda física é coisa pra d... É essa! Essa daqui, a 47. Essa eu não consegui fazer não.
- Como é essa questão?
- É uma de um barco troncho aí. Ele não dá a pressão, não dá o volume, só dá a gravidade e a densidade da água... Grandes coisa, esses aí eu já sei de có!
- Deixa eu dar uma olhada?
- Todo seu.
- Hum... um barco... metade do volume... uma carga de 1000kg... depois um terço do volume... Hum... Ele pede o peso do barco.
- É.
- Bom, você pode igualar os pesos com os empuxos... aí você monta um sistema...

...

- Ah, consegui! Vê aí na resposta.
- Tem a resposta?
- Tem, vê aí no final do livro, é a 47. Deu 30.000 N?
- ... Hidrostática... 47... 30.000 N!
- Aê! Acertei!

(Smaaaack!)

- E aí, vamos fazer qual agora?
- Mais nenhum. Já estudei demais.
- Achei que a gente ia passar a tarde estudando hoje...
- Não. Como professor, por hoje você está dispensado!

(O rapaz franziu a testa.)

- Mas como namorado, seu expediente começa agora!

E dizendo isso, a menina agarrou-lhe o pescoço e tascou mais um beijo.

______________________________________________________

- Tem violão aqui na tua casa, menina?
- Tem o da minha irmã...
- Tu podia pegar pra mim?
- Não, se ela sonhar que eu toquei no violão dela, ela me estrangula!
- Tá, é porque eu aprendi umas músicas aí só pra tocar pra você...

Diego fez uma cara de cachorro pidão e Marcela não pôde resistir...

(Instantes depois)

- Aqui. Mas pelamordeDeus, cuidado!
- Relaxa.

Diego passou alguns minutos se acostumando com o instrumento e lembrando dos acordes que ia tocar. Tocou trechos de duas ou três baladas que já tinha prática e ela gostava, mas o melhor sem dúvida foi More than words. O garoto certamente não nascera para a música: às vezes esquecia como fazer determinado acorde e sua voz raramente estava no tom certo... Marcela contudo, achou lindo. Não lembrava o que a letra dizia, mas adorava a música. Ouví-la tocada por seu namorado, então, a deixou... perfeita!

Diego parou de tocar e sorriu satisfeito. Pelo brilho nos olhos dela, ele sabia que tinha agradado. Ela se derretera como manteiga, exatamente como ele previra. Repousando o violão sobre a cama da garota, ele começou falando:

- Eu sei que não canto nem toco muito bem...

Marcela mexeu-se como se fosse protestar, mas se conteve para não interrompê-lo.

- ... mas não importa, essa é apenas uma maneira que eu encontrei para dizer... que te amo!

-----------------------------------------------------------------------------

* meia-boca, o começo tá legal, mas não gostei muito do resto...
* pra quem ainda não sacou aquela parada da "Rejeição", aqui vai a "resposta": eu sou o rejeitador, meu blog é o rejeitado e 'Ela' é a UFPB... ;)
* quanto ao post anterior, não sei se vai ter continuação...