25 de dez de 2006

A história do Príncipe Corran

Eu sou o quinto regente de minha família. Nossa linhagem foi breve. Nenhuma outra família real governou Tholatin por menos que sete gerações. Mas a minha família é uma das mais antigas, acredito que a última realmente nobre do planeta. Chegamos aqui pouco depois dos verdadeiros fundadores, os Alloth´In, e nossas relações foram amigáveis por séculos.

Tholatin costumava ser governada por um Conselho Real, formado pelo Holl e por seus filhos. Havia também a Assembléia dos Anciões que resolvia questões mais corriqueiras e, às vezes era consultada pelo Conselho. Nossa família, contudo, não pôde continuar essa tradição. Pouco depois de o primeiro de minha casa assumir o título de Holl, ele sofreu um terrível atentado: foi vítima de um potente veneno, que não tirou-lhe a vida, mas deixou-lhe praticamente estéril.

E essa tem sido a sina de nossa linhagem por essas cinco gerações. Todos os meus antecessores só conseguiram gerar 1 filho durante toda a vida, dessa forma nossa linhagem perdurou. Meu pai, contudo, conseguiu fazer o que parecia impossível, deu origem a dois filhos, eu e... meu irmão.

Meu irmão, sendo o mais velho, foi preparado desde criança para se tornar o novo regente de Tholatin. Meu nascimento, anos mais tarde, foi considerado uma benção, um sinal de que nossa linhagem continuaria por muitos séculos. Não havia dúvida, no entanto, de que meu irmão Dorran seria o novo regente. Ele era o mais velho, tinha esse direito, e já estava sendo preparado desde muito pequeno. Além do mais, eu nunca tive vontade de assumir a regência de Tholatin. Desde cedo, meu interesse era a ciência...

Com dez anos, meu pai ajudou a realizar meu sonho: estudar na Academia Galática de Bio-Engenharia, em Mon Calamari. Lá passei longos anos estudando. Me dedicando a que eu acreditava ser meu destino... Mas não era. Pouco depois de eu completar meus 16 anos, uma imensa tragédia abateu-se sobre minha família. Vítima de uma grave doença, meu pai veio a falecer. Semanas depois, meu irmão teve o mesmo destino. A perda foi... incalculável.

Voltei a Tholatin e larguei meus estudos. Eu, obviamente, tinha o direito à regência, mas nenhum treinamento para tal. Difíceis foram os anos seguintes. Muitos "grandes amigos de minha família" ofereceram os seus conselhos. Aproveitadores, em sua maioria. Mas contei com a ajuda de alguns amigos verdadeiros. Ou assim eu pensava...


______________________________________________

*um dos npcs da campanha de Star Wars. ^^

18 de dez de 2006

A promessa da N´Tel´Quess

Era noite alta quando Elisha se ajoelhou diante de uma árvore pálida numa mata do norte. Uma brisa fria soprava do leste, fazendo as folhas farfalharem. Apoiada firmemente em sua espada, ela fechou os olhos e começou a murmurar para a noite.

É a ti que me dirijo nessa hora, mãe. Perdoe-me se nunca aprendi a rezar ao Senhor da Manhã. É difícil ter essa fé quando se vive num mundo sem sol. É a ti que rezo, minha mãe. Mesmo eu sendo o fruto da mais amarga lembrança, me criaste com todo amor e todas as lágrimas que só uma mãe de verdade pode dar. A ti, minha mãe, agradeço. A ti, minha mãe, eu oro. A ti, minha mãe, minha deusa.

Perdi a ti, perdi Johan, perdi toda família que um dia já tive e perdi o mais próximo que já tive de um lar. Dá-me forças para resistir, dá-me forças para sobreviver e dá-me forças para... me vingar. Pois prometo que vingarei tua morte e a de Johan. Minha lâmina se banhará no sangue dos culpados, nem que minha própria vida se perca para que eu cumpra essa promessa.


Uma lágrima ardente desceu pelo rosto da jovem enquanto ela se colocava de pé. O vento esvoaçava seus cabelos brancos quando ela começou a andar pela floresta. Caminhava sem povo, sem lar e sem deus rumo ao seu destino...

______________________________________________________


Os elfos referem-se a si mesmos como TelQuessir, o que significa "povo". Os não-elfos são considerados N´Tel´Quess, ou "não-pessoas". Eles tratam os N´Tel´Quess com respeito, como se fossem um hóspede incômodo. Já os drows consideram todos que não façam parte de sua própria raça como N´Tel´Quess, incluindo as outras sub-raças élficas, assassinando ou escravizando todos aqueles que pertencem a este grupo.

______________________________________________________

*Apresento-lhes Elisha, a meio-drow, personagem que tá na gaveta a um tempão,
mas existem rumores que ela vai se libertar em breve... =D
*Perdoem o vocabulário limitado dela, ok? Ela é uma guerreira.

PS: Pra quem usar o termo "café com leite" vai ter retaliação em Star Wars...