30 de abr de 2011

Cylon Party

ALERTA DE SPOILERS


Esse conto é baseado na série de TV Battlestar Galactica e, cronologicamente, se passaria por volta do episódio 10 da 3ª  Temporada. Se preferir, volte quando tiver assistido até esse episódio. xD


*********

- Você tem que admitir que é um pouco estranho. - afirmou Baltar enquanto caminhavam.

- O que há de estranho nisso? - replicou a Seis. Por que não podemos comemorar também?

Os dois caminhavam pelos corredores da basestar. A Seis usava um belo vestido vermelho com um generoso decote e as luzes nas paredes faziam seu cabelo reluzir como ouro. Gaius Baltar fez o possível para estar apresentável, mas sua roupa estava levemente amassada e a barba e os cabelos, mal-cuidados; ainda assim, ele não parecia um prisioneiro.

- Tecnicamente, os membros de sua raça não nascem, são construídos, fabricados - explicou. Hoje não é o dia do aniversário dela, é sua... data de fabricação.

- Não seja tão insensível, Gaius! - respondeu impaciente. Hoje nos lembra o dia em que D'anna passou a existir, a pensar, a sentir, a viver... É algo especial.

- Um aniversário é uma coisa única para cada ser humano, é uma celebração dedicada a um indivíduo, não a um número de lote: "0003".

- É isso o que você pensa? - retrucou com raiva. Eu sou apenas mais uma Seis? Só uma cópia de um produto?

- E-eu não...

- Isso é o que você pensa de todas nós, não? Não apenas cylons, mas fêmeas em geral.

- I-isso não é o que eu quis - tentou explicar-se -, Caprica, me deixe...

- Exato. Caprica! Eu não sou apenas outra Seis. Além disso, nem todas as D'annas foram ativadas no mesmo dia.

- Eu não... sabia disso. Interessante.

Levou algum tempo até eles chegarem a ampla sala onde ocorreria a festa. O chão e as paredes eram de um cinza metálico e, exceto pelos cylons que ali se encontravam, o lugar estava vazio. Gaius observou curioso a ausência de mesas, cadeiras e comida e se perguntou como seria uma festa cylon.

Havia várias Seis e Três, alguns Dois e Oito. No centro, D'anna conversa com um irmão Cavil, Boomer e um Leoben quando Caprica e Gaius chegaram.

- Olá, D'anna. Meus parabéns. - desejou Caprica com um sorriso.

- Minhas... hmmm felicitações, D'anna. - disse Gaius.

- Eu lhe trouxe um presente. - disse a Seis entregando um pequeno frasco à aniversariante. É um perfume que eu trouxe de Caprica.

D'anna abriu o frasco e inspirou profundamente os vapores que ele exalava. Suas feições mudaram, indo do espanto ao sorriso. Seu olfato nunca recebera um estímulo como aquele. Ela ficou impressionada e não soube o que dizer.

- Obrigada, Seis. Eu nunca senti um cheiro tão bom.

- Que desperdício de tempo - comentou bruscamente o irmão Cavil. Qual é o sentido de ter um frasco frágil com esse líquido se você pode simplesmente projetar a sensação de um bom odor direto para sua mente?

- Não seja ridículo, irmão - respondeu D'anna. Como eu poderia projetar um perfume desses se eu nunca o senti antes?

- Por que não começamos logo com isso? - sugeriu Cavil impaciente.

Em poucos segundos os cylons estavam segurando as mãos uns dos outros num curioso arranjo losangular. Depois, fecharam os olhos de forma solene. Gaius achou que a cena parecia algum tipo de oração silenciosa até ele notar mudanças nas feições de cada um deles: sorrisos, murmuros, suspiros... Até o irmão Cavil esboçou um sorriso eventualmente.

A projeção levara os cylons para lugares muito diferentes da vazia sala metálica onde seus corpos estavam. O alto de uma montanha, uma ilha deserta, um bosque frutífero, uma cidade barulhenta... Eles comeram, beberam, conversaram, dançaram... se divertiram. Esqueceram por algumas horas que estavam em guerra. E sempre os acompanhava a bela fragância do perfume de Caprica.

Gaius Baltar observara a cena muito interessado, imaginava-se o que exatamente eles faziam durante a projeção. Seu interesse, contudo, durou apenas alguns minutos. D'anna pedira pessoalmente que duas Oito lhe fizessem companhia e aquele era um modelo que ele ainda não tivera a chance de... conhecer muito bem. Não demorou muito a convencê-las a levá-lo aos seus aposentos, de modo que os três também tiveram sua própria festa.

_________________________

Esse é meu post do mês de abril para a Liga Narrativa. O tema é "Festas/Bailes" (provavelmente o último com '/' xD). É, obviamente, um fanfic de Battlestar Galactica e quem não viu nada da série provavelmente deve ter se perguntado "Que PORRA foi isso?". Sinto muito... mas a culpa também é sua! Quem mandou não ter visto Battlestar!? Shame on you!


Posts de outros membros da Liga:
Jagunço - Diálogos Feéricos

3 comentários:

Daniel disse...

Rapaz, eu gostei! Acho que boa parte das pessoas que leem textos da Liga Narrativa assisiram pelo menos uma parte da série.

Mas uma coisa é certa: tem gente que não chegou a todos os Cylons que você descreveu, talvez um SPOILER ALERT lá em cima fosse benvindo =D

Jagunço disse...

A etapa 2011 da Liga começa com muita sacanagem! :D
Saudável isso. :P

Allana disse...

Ah, podia ter contado como tava sendo a projeção, eu queria ver! XD Espere, isso é o que um cylon diria, certo? ;P

Muito legal. :) Cylons também são passíveis de vaidade. ;D