28 de nov de 2005

Semana de Casamento


Na parada de ônibus, um rapaz esperava seu transporte. “O carro tinha que dá problema logo na semana do meu casamento!”. Tinha muitas coisas para resolver. Estava um pouco ansioso. Sua noiva era bonita, trabalhava e era de boa família; os dois tinham muito em comum.

O ônibus parou e ele pôde ver uma mulher de expressão triste sentada ao lado da janela, ela também o vira – é o meu ônibus – pensou, antes de subir. Havia poucos lugares vagos, acabou sentando ao lado daquela moça.

Ela olhava com tristeza, para fora, para longe. De vez em quando, o homem ouvia uns soluços abafados. Em certo momento, percebeu um filete de água escorrendo pelo rosto da jovem, já estava na altura do queixo.

-Você está bem? - perguntou o rapaz.

Sem desviar o olhar, ela acenou que sim.

-É que você está... E-eu posso te ajudar? - insistiu.

Ela mordeu o lábio, demorou um pouco a responder. Depois enrolou o braço no dele e voltou-lhe a face parcialmente coberta pelos cabelos:

-Só preciso de um pouco de conforto – disse a mulher apoiando a face no ombro dele.

Mais lágrimas foram despejadas, acompanhas de leves soluços... Alguns minutos depois, ela se levantou, enxugou parcialmente o rosto e pediu parada. Antes de descer, despediu-se: “Obrigada!”. O noivo ficou com a imagem daquela mulher na sua mente por algumas horas.

O casamento foi no sábado: igreja cheia, decoração caprichada, muita comida e o carro estava novo em folha. Quando o padre perguntou se alguém tinha algo contra aquela união, a memória do rapaz o levou a 15 anos atrás...

Naquele tempo ele ainda não gostava de tomar banho e jogava bolinha de gude. Em poucos dias mudaria para outra cidade, estava se despedindo de sua melhor amiga. Não foi fácil, ele a conhecia desde quando ainda usavam chupeta. Fizeram um juramento: quando ficassem adultos, ele voltaria para buscá-la, os dois se casariam e viveriam felizes para sempre.

O noivo sacudiu a cabeça e as memórias foram embora. O casamento foi lindo, todos comentaram; a lua-de-mel, maravilhosa. Deu tudo certo. Ele se casou, teve filhos, conforto e sucesso.

____________________________________________________

Como vocês perceberam, isso aí em cima não tem nada a ver com minhas outras "historinhas", esse é o tal conto que eu falei em um post anterior - aliás, isso é um conto mesmo? nunca fui muito bom em diferenciar os gêneros literários... Gostaria de agradecer a um amigo meu que me inspirou a fazer essa historinha aí!

PS1: não! isso não aconteceu com ele, pelo menos não ainda... :]

PS2: ah! e antes que venham me caluniar, o diminutivo "historinha" está mais num sentido pejorativo do que outra coisa.

6 comentários:

Allana disse...

Ficou alguma coisa no ar.

A moça era a amiga dele de infância? (sim, me perdoe, minha mente é permeada por clichês xD).

O texto (seja lá o que for) mecheu um tanto comigo. Não sei dizer ao certo como, mas está bom.

Você só precisa revisar :x

Mandxinha disse...

Eu concordo com a Allana...
;)

André(Brito) disse...

Bem, o texto ficou bem legal e eu conheco essa historia, certa vez, um amigo me contou a mesma história e a garota era uma namorada de infância e não uma amiga, só para esclarecer se alguém ficou com dúvida.Voltando, ao assunto, a história está bem fiel à original, e de certa forma, essa história também mexeu comigo.

Leina disse...

Gostei, mas axo q ficou um pouco vago... Mas concordo que ficou bem poético... Bonito mesmo! Gostei!!!
Beijos...

Angela disse...

Será que vc pode ficar me acompanhando? acho q vou precisar de você mais tarde, nos próximos psts você vai var...
talvez...um abraço.
(( zideias-soltasz.blogspot.com ))

be disse...

華麗夢想,
夢世界,
酒店經紀,
酒店工作,
酒店上班,
酒店打工,
禮服酒店,
禮服公關,
酒店領檯,
華麗夢想,
夢世界,
酒店經紀,
酒店工作,
酒店上班,
酒店打工,
禮服酒店,
禮服公關,
酒店領檯,
華麗夢想,
夢世界,
酒店經紀,
酒店工作,
酒店上班,
酒店打工,
禮服酒店,
禮服公關,
酒店領檯,
華麗夢想,
夢世界,
酒店經紀,
酒店工作,
酒店上班,
酒店打工,
禮服酒店,
禮服公關,
酒店領檯,
華麗夢想,
夢世界,